Fomos procurados por veículo de comunicação que, protegendo sua(s) fonte(s), manifestou perplexa curiosidade sobre aspectos do Sistema Consular Integrado (SCI) ora sendo instalado, tais como o novo passaporte biométrico, seus mecanismos de “ativação”, valores do real-ouro. No trato com o jornalista, procuramos relevar a importância da implementação do novo mecanismo, que tem permitido otimizar a prestação do serviço consular, distanciando-se de antigas práticas, há muito superadas, pouco eficazes. Ao que parece, estamos no rumo certo. Do meu ponto de vista, as conversações suscitadas acerca da nova sistemática, suas vantagens e mazelas, ainda que timidamente, alcançaram a imprensa desnecessariamente. Minha particular preocupação é com os matizes que a informação, uma vez noticiada, poderia alcançar.

Consideramos que as manifestações de interesse acerca do tema devem concentrar-se, preliminarmente, sobre a implementação da nova sistemática pelos agentes consulares, o impacto junto aos beneficiários e, ainda, a definição de melhores práticas por parte das instâncias decisórias do MRE.

Nesse espírito, é importante que todos os colegas envolvidos na missão de prestar serviços consulares nos relatem suas experiências e indiquem sugestões à luz das mesmas, com a preocupação, por ora, de evitar que o assunto transborde de nossa esfera de discussões.

De nosso lado, estamos examinando a questão, procurando, inclusive, identificar de que maneira trabalha a Polícia Federal nessa área. Uma vez que tivermos esses elementos, procuraremos a Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior (SGEB) com propostas que visam contribuir à melhoria das condições de trabalho na área consular.

Alexey van der Broocke

 

Data da publicação:19/10/2009

Acessar
x
x
x