A Câmara dos Deputados homenageou, nesta sexta-feira (13), os dez anos de criação do Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério das Relações Exteriores (Sinditamaraty). O evento relembrou os principais momentos da entidade, entre eles as mobilizações de servidores para a melhoria salarial e o protagonismo no debate sobre o assédio moral e sexual no Itamaraty. 

Segundo o presidente do Sindicato, João Marcelo Melo, mesmo com as dificuldades que foram e ainda são enfrentadas no Serviço Exterior Brasileiro, a entidade conquistou importantes êxitos. “Hoje podemos dizer que o Itamaraty é um pouco mais justo, um pouco mais transparente, um pouco mais republicano. Graças aos esforços dos meus antecessores, o Sinditamaraty tem voz na mesa de negociação e tem atuação em muitos dos processos decisórios que afetam diretamente a vida dos colegas servidores”, pontuou.

A presidente da Mesa, a deputada federal Erika Kokay, ressaltou, em seu discurso, a importância dos servidores do Ministério das Relações Exteriores (MRE) no acolhimento dos brasileiros que estão fora do país. “Com eles é como se o Brasil fosse transportado para o mundo inteiro. E como é bom, em um momento de desespero, encontrar uma embaixada ou um consulado mundo afora. As políticas exteriores perpassam o trabalho desses servidores, por isso, se faz necessário recompor os cargos do MRE”, explicou a requerente da Sessão Solene.

Além de toda a Diretoria Executiva da entidade, fizeram parte do evento o representante da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), Luiz Gonzaga de Negreiros, e o ex-presidente do Sinditamaraty, Ernando Neves.

Pioneirismo
Durante a Sessão, a Mesa salientou o pioneirismo dos servidores que, ao se unirem, deixando para trás suas lutas individuais, proporcionaram a criação do Sindicato. “Esses servidores dedicaram momentos de suas vidas em prol da valorização do quadro de pessoal do Itamaraty. Apreciar, em minha fala, esses exitosos pioneiros é uma forma de agradecê-los por seus esforços e conquistas”, relembrou a Diretora Financeira, Denise Marçal.
Para o vice-presidente do Sindicato, Jansen Torres, sem o Serviço Exterior Brasileiro seria impossível aos governantes acompanharem a celeridade com que se dão as relações internacionais. “Cada servidor, independentemente do cargo que ocupa, tem a sua importância nesse processo de projetar o Brasil ante a comunidade internacional. Todos os servidores do MRE são pilares que sustentam esse edifício”, afirmou.

Atividade peculiar
O Sinditamaraty surgiu com o objetivo de representar, de forma legítima, todas as carreiras do ministério: oficiais de chancelaria, assistentes de chancelaria, diplomatas e servidores do PCC/PGPE. São esses servidores que executam a política externa do país e prestam apoio aos brasileiros, por meio do serviço consular, nas mais de 220 representações espalhadas mundo afora.

O Secretário-Geral, Felipe Heimburger, reiterou em sua fala, as peculiaridades do Serviço Exterior Brasileiro. “As carreiras do MRE têm as suas demandas específicas e como Sinditamaraty a gente coloca isso na mesa, debatendo e buscando ir em frente. A gente tem conseguido fazer isso nos últimos dez anos. O serviço público no Itamaraty tem as suas características específicas que nos levam a servir o Brasil no exterior. Esse serviço, muitas vezes leva a um adoecimento, uma solidão, e o Sindicato tem feito esse trabalho de cuidar da saúde do servidor”, finalizou.


A entidade sindical tem como principais objetivos a defesa dos interesses dos servidores do MRE, a luta pela melhoria das condições de trabalho e a valorização do Serviço Exterior Brasileiro.

 

 

Acessar
x
x
x