O Sinditamaraty protocolou, nesta quarta-feira (15), um ofício para a Secretaria de Gestão Administrativa do Ministério das Relações Exteriores (Sgad/MRE) apresentando algumas propostas para a melhoria e aperfeiçoamento da cobertura do plano de saúde dos servidores. O intuito da entidade é subsidiar as tratativas de negociação em curso com a Allianz – atual provedora de saúde do Itamaraty.

 

Entre as propostas estão: o oferecimento de reembolso de métodos contraceptivos, como os Dispositivos Intrauterinos (DIU) e os implantes subdérmicos, bem como os procedimentos de colocação por médico especializado. Também foi apresentada a proposta de autorização de consultas com os profissionais da saúde mental (psiquiatra, psicólogo e psicanalista) na modalidade de tratamento à distância, com base na Resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) nº 11/2018. Assim, os servidores removidos poderão dar continuidade aos tratamentos mundo afora.

 

O documento também apresentou o caso de um servidor que não conseguiu a autorização para a cirurgia bariátrica, devido a um entendimento da provedora de saúde; além das queixas dos servidores quanto ao aumento de pedidos de documentos adicionais, prática que tem atrasado o reembolso de procedimentos de saúde.

 

Confira a íntegra do documento aqui.

Acessar
x
x
x